O Carro

Se eu pudesse escolher um Arcano do Tarô para representar meu pensamento, este Arcano é O Carro.

Toda Jornada que já foi descrita por muitos filósofos e visionários, de Sócrates à George Lucas, trata do percurso, das várias fases do percurso e de como faremos este caminho.

Não há saída, desde que se põe a cabeça aqui a jornada começa e teremos que fazê-la, com o detalhe importante de que não há um mapa assim tão claro.


No tarô, a magnífica figura O Carro expressa os dois corcéis, a carruagem, a estrada, a figura humana e mais uma infinidade de detalhes. Tudo é o Ser.

Na simbologia do Tarô o Carro é a alma estendida da ação; ou seja indissociável.

Sócrates conta a seu amigo Fedro, no diálogo homônimo. "A alma pode ser comparada a uma espécie de carruagem alada, puxada por dois cavalos e guiada por um auriga".

Enquanto um cavalo é arisco e tende para o mundo dos desejos materiais, é aquele que representa a parte corpórea; o outro é dócil e tende a pura entrega e se alia prevalentemente ao auriga. No entanto, mesmo sendo dócil, nada impede que o possa mover-se na direção contrária e arrastar tudo, pois ainda é instinto.

Platão acrescenta um intermediador entre os corcéis denominado com uma palavra de difícil tradução (thymoeide). Poderíamos chamar esse elemento de “força de ânimo” ou “força de vontade".

Sendo força natural e da consciência, ora estará mais aderida a um ou outro cavalo.

Não se pode dizer que um cavalo é melhor ou mais necessário que o outro. Nem se pode dizer que um elemento deste simbolismo prevalece ao outro, nem que se deve lutar para adestrar um ou outro. A Jornada só existe porque tudo isso convive.

Tire um elemento e a jornada inexiste.

Ao ler a palavra "thymoeide", foi impossível para mim não associar a glândula Timo. A Timo é uma glândula social, aquele lugar onde tocamos naturalmente quando queremos informar "Eu". Fisiologicamente participa da cadeia do sistema imune, é aqui que maturam os linfócitos T. Do ponto de vista da consciência corporal, um bom sistema imune sabe que você é você!

E ainda, a Timo expressa a consciência de aceitação e também da proteção do coração.

No aspecto da fisiologia da energia, a Timo se conecta com o chakra cardíaco. Não é à toa que nossas mãos migram para este lugar do corpo, quando vivenciamos grandes alegrias, tristezas, sustos ou quando tentamos assimilar um evento. O corpo é tão enormemente inteligente que não precisamos saber anatomia. A mão vai pra lá "sozinha", para este lugar no meio do peito. Gurdjieff também lançava mão de uma alegoria da carruagem.

Para ele a carruagem é o corpo físico, os cavalos são os sentimentos, o cocheiro é a mente, e dentro da carruagem está o verdadeiro habitante, que é o EU Interior. No indivíduo comum ( todos nós) estas partes estão dissociadas e muitas vezes o cocheiro não consegue empregar muito bem os arreios conduzindo os cavalos. O passageiro dentro da carruagem não consegue dar ordens ao cocheiro da direção a ser tomada, e deste modo a carruagem segue parcialmente descontrolada para um rumo imprevisto, terminando sempre, é claro, quando termina a jornada, na morte.

É uma clara menção aquilo que todo o tempo dizemos em terapia: não há controle, há somente experiência. Num mundo onde a FOMO "fear of missing out" (medo de ficar de fora) fica obrigando a correr com essa carruagem doida, atualizar tudo, saber tudo, participar de todas as redes, onde toda hora alguém de diz que você deveria isso e aquilo... eu apenas paro, respiro longamente, dou uns toquinhos aqui na área da Timo, me lembro quem sou eu, o que me deixa feliz em fazer e falar, me lembro das coisas que fazem sentido para mim, que são saudáveis para mim, na aceitação da impermanência e vou seguindo a minha jornada como é. Há também a Jornada do Herói, de Joseff Campbell, que expressa todo o caminho, citando o importante encontro com um mestre, que auxilia a seguir a Jornada com a descoberta da própria natureza e força.

O interessante aqui é saber que mestres também estão fazendo as suas próprias jornadas e, igualmente, às vezes irão ao lado negro da força.

Em Star Wars, temos Chewbaca e Meste Yoda, que numa livre interpretação, representam essas partes, instinto e sutil, ambas necessárias. Ora uma será mais requerida, ora outra. É a Jornada.

Que a Força esteja com você, porque ela está unicamente em você. Você pode fazer um exercício bem simples. Olha para a imagem do Carro, faça pequenos toques no meio do peito ( timo) com a mão bem aberta, respire longamente, sinta a força EU SOU.


08/02/2021



​© 2023 by Celia Barboza - Site criado por Rica Maia

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now